Receitas de coquetéis, destilados e bares locais

Os 50 melhores cachorros-quentes da América (apresentação de slides)

Os 50 melhores cachorros-quentes da América (apresentação de slides)


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Estes são os melhores bifes do país

50) Gray’s Papaya, New York City: New York-Style

O cachorro-quente clássico de Nova York vem em muitas formas, mas quase sempre são feitos por uma empresa: Sabrett. Gray’s Papaya agora está reduzido a apenas um local em Nova York, no Upper West Side, e este colorido fornecedor de personagens da velha guarda de Nova York grelha seus cães Sabrett de invólucro natural em um topo plano, aninha-os dentro de um pão levemente torrado e os cobre com mostarda, chucrute ou a clássica "cebola com molho", também da Sabrett. Encoste-se na borda, lave um casal com um pouco de bebida de mamão e siga seu caminho alegre, cheio, contente e com apenas alguns dólares.

49) Moe’s Hot Dog House, Filadélfia: Moe’s Dog

Nesta joia do sul da Filadélfia, cachorros-quentes são “feitos da maneira certa!”, De acordo com o lema do menu criativo e amplo. No Moe's, cachorros-quentes são variações de carne produzida por Levis (estabelecida localmente em 1895), e eles são acompanhados no menu por alguns excelentes sanduíches de café da manhã, rosbife esculpido à mão e pratos clássicos da Filadélfia, incluindo bifes de queijo, sucata e rolinhos de porco. Eles vão fritar seu cachorro se você pedir (até três graus de cozimento), e seu cachorro-quente é incrível, mas a qualidade do cachorro é tão alta que você deve escolher o cachorro-quente padrão. Os melhores amigos de um cachorro-quente kosher são chucrute e mostarda picante, e as pessoas por trás do Moe's sabem disso: eles fizeram desse estilo sua oferta principal, chamada de Moe's Dog. Guarde aquele coberto com macarrão com queijo para a sua segunda visita.

48) Bob's Drive Inn, Le Mars, Iowa: Bob Dog

O Bob's Drive Inn serve cachorros-quentes da marca Wimmer, feitos localmente, e é melhor apreciado quando coberto com a "carne solta" exclusiva do restaurante. Este molho robusto de carne é colocado em cima junto com picles e queijo e empilhado em um pão fresco da padaria local Casey. As ofertas são chamadas de Bob Dogs, e cada extremidade da franquia lembra comicamente um polegar humano. Bob's Drive Inn existe desde 1949 como uma empresa familiar e operada, e é uma parada obrigatória para qualquer amante de cachorro-quente que se encontre em Iowa.

47) Good Dog, Houston: Ol ’Zapata Dog

O caminhão Good Dog passa por Houston todos os dias, exceto segunda-feira, e a ênfase aqui está na qualidade, qualidade, qualidade. Os cachorros-quentes com invólucro natural são feitos localmente, usando uma receita patenteada, e todas as coberturas são feitas no caminhão. The Slow Dough Bread Co. faz os pães levemente amanteigados, e há uma série de opções supercriativas de cobertura, incluindo o Guac-A-Dog (abacate, jalapeño fresco, tomate, cebola em cubos, alho aioli torrado, coentro, cominho, e limão) ou Sunshine Dog (cebolas vermelhas em conserva, tempero de endro fresco, cream cheese e maionese). A pièce de résistance, no entanto, é o Ol ’Zapata Dog, uma mistura maravilhosamente satisfatória de bacon, queijo Muenster, cebolas caramelizadas, tomates, molho jalapeño, ketchup caseiro e maionese. É com queijo, bacon, doce, picante e perfeitamente composto.

46) Frank, Austin, Texas: Carolina Pork It

Yelp / Emily K

Este restaurante centrado em salsichas é uma joia de Austin, servindo salsichas feitas na própria casa ou por um fabricante local de salsichas, com coberturas brilhantemente criativas. Enquanto eles também servem cães regionais, como cães de Chicago e cães de Sonora, que são super fieis a seus antepassados, é nas criações personalizadas que eles realmente brilham. Veja o Carolina Pork It, por exemplo: um cachorro-quente 100% Vienna, recheado com queijo e embrulhado em bacon, frito e coberto com salada de repolho de raiz forte grelhada e queijo pimento caseiro. É uma perfeição extravagante, fumegante e crocante, e você pode embrulhá-la em uma panqueca de milho em vez de um pão, se preferir.

45) Yesterdog, Grand Rapids, Mich .: Yesterdog

Há um sistema de pedidos bastante rígido no Yesterdog, que só paga dinheiro, que serve os melhores cachorros-quentes de Grand Rapids desde que Bill Lewis o abriu em 1976: você começa na extremidade esquerda do balcão, onde alguém anota seu pedido de cachorro-quente. Em seguida, movendo-se para a direita, você faz seu pedido de bebida e, em seguida, seu pedido de batatas fritas. Então você paga, recebe seu pedido completo e encontra um lugar para sentar. Pode ficar um pouco complicado, mas você será amplamente recompensado com um cachorro que nunca vai acabar. Opte pelo Yesterdog, que é coberto com pimenta, cebola, mostarda, ketchup e pickles em cubos, e você desejará outro assim que terminar. Por apenas US $ 2,20, você pode saltar por ele.

44) Memphis Taproom Beer Garden, Filadélfia: The Polser

A esplanada-cervejaria do Memphis Taproom de Philly é um dos locais mais convidativos da cidade para beber ao ar livre, mas também é um destino de classe mundial para os amantes sérios de cachorro-quente. Os cães aqui são feitos em um caminhão no local e começam com links longos e finos das Best Provisions, favoritas de culto de Nova Jersey. As opções de cobertura aqui são incrivelmente criativas. Há o Mackinac, que cobre um cachorro com queijo chili com salada de macarrão; o Blue Hawaii, um cachorro embrulhado em bacon com banana frita, Dijon e manteiga de amendoim em pó; e o Popper, coberto com pasta de cheddar jalapeño, jalapeños fritos e mostarda jalapeño. Há também cães do brunch, como o que é embrulhado em bacon e coberto com queijo americano e ovos mexidos. Mas se você tiver que escolher apenas um, vá com o Polser. É a sua opinião sobre um cachorro-quente ao estilo da Dinamarca, e é embrulhado em bacon e coberto com remoulade, Dijon, picles e chalotas fritas crocantes. As coberturas não superam, os picles e chalotas adicionam textura e crocância e, simplesmente, é um cão brilhante.

43) Walter's, Mamaroneck, N.Y .: Com mostarda caseira

Ao lado de uma estrada despretensiosa na modesta cidadezinha de Mamaroneck, em Nova York, fica uma barraca de cachorro-quente em forma de pagode. Este é o de Walter, e os cachorros-quentes aqui não mudaram desde que Walter Warrington abriu sua primeira barraca nas proximidades em 1919. O pagode com telhado de cobre foi construído em 1928 e atualmente está no inventário de lugares históricos do condado. Mas são os cachorros-quentes que realmente tornaram os de Walter tão lendários. Warrington elaborou a receita para esses cães ele mesmo, e até hoje eles ainda estão divididos ao meio, regados em um molho secreto enquanto grelhados, colocados em um pão torrado fofo e coberto com mostarda caseira. Não há nada como o de Walter.

42) James Coney Island, Houston, Texas

Em 1923, um casal de irmãos imigrantes gregos, Tom e James Papadakis, abriu uma barraca de cachorro-quente no saguão de um prédio comercial no centro de Houston, servindo sanduíches (até mesmo fígado de ganso e combinação de Roquefort) e cachorros-quentes totalmente bovinos conhecido como coneys (que, aliás, não foi nomeado para Coney Island - mas isso é outra história). Hoje, há 21 ilhas James Coney em Houston e nos arredores, servindo hambúrgueres, sanduíches, tamales e muito mais, mas os cachorros continuam sendo a moda. Em muitas lanchonetes de cachorro-quente, você pode comer seu filhote com pimenta ou mostarda, mas o cachorro Texas definitivo de James oferece os dois, junto com cheddar picado e cebola picada. É um bocado grande do tamanho do Texas.

41) Gus's, Birmingham, Ala .: Greek Dog

O Gus’s, em Birmingham, Alabama, é o lar do Greek Dog - "o único lugar sobrevivente de cachorro-quente grego antigo no centro de Birmingham", de acordo com Serious Eats. Para fazer seu cachorro grego, franquias rosadas Zeigler grelhadas no carvão são cobertas com carne moída temperada, chucrute, algumas cebolas picadas e um molho especial que foi formulado pelo próprio Gus Alexander quando ele abriu a barraca por volta de 1940, e é uma mistura de molho barbecue e cebolas cozidas ao estilo nova-iorquino. A atmosfera tem um ar despretensioso; é pequeno e pitoresco, com uma TV no canto, deixando claro que, aqui, é tudo sobre cachorros.

40) Happy Dog, Cleveland: The Mobile Home Wrecker

Em 2008, cinco amigos compraram um bar de esquina de bairro dos anos 1940, construíram um palco para música ao vivo, trouxeram o chef Eric Williams para criar um menu de cachorros-quentes loucamente bons, e Happy Dog nasceu. Os hóspedes são incentivados a fazer suas escolhas em uma lista de cerca de 50 coberturas que variam de feta grego e espaguete-O a salada de repolho caribenha e Froot Loops, mas se você estiver confuso, há uma abundância de "Weiners exclusivos", incluindo a casa móvel. Destruidor: um cachorro só de carne bovina coberto com Bourbon porco com feijão, queijo cheddar, cebolas caramelizadas, batatas fritas de Andy Capp e molho barbecue ao estilo Alabama. Você não saberá o que o atingiu.

39) Rawley’s Drive-In, Fairfield, Conn .: The Works

No mercado desde 1947, ao longo dos anos Rawley se tornou uma lenda local. Atrás do pequeno balcão onde legiões de fãs dedicados fazem seus pedidos diariamente, os gordinhos Red Hots da Blue Ribbon fazem uma viagem até a fritadeira e são terminados na frigideira ao lado de torrar pãezinhos, onde desenvolvem uma pele polida e crocante. Você pode escolher os condimentos, mas os clientes habituais recomendariam "o melhor": mostarda, condimentos, chucrute e pedaços de bacon crocante.

38) Simone’s Hot Dog Stand, Lewiston, Maine: Red Snapper

Foursquare / Mike A

Este é um cachorro de porco vermelho escuro vivo, no lado pequeno, cozido no vapor, servido em um pão quente (cães grelhados estão disponíveis a pedido). Queijo, chucrute e pimenta estão disponíveis aqui, mas os condimentos tradicionais são tempero, cebola e ketchup. Um toque inusitado: um shaker de sal de aipo é oferecido junto com o sal e a pimenta. A Simone's vende cachorros e outras comidas simples desde 1908 e, a julgar pelas fotos na parede, todos os políticos da Nova Inglaterra ou da mesma já estiveram aqui em um ponto ou outro.

37) Coney I-Lander, Tulsa, Okla .: Coney

Esta amada mini-rede de Tulsa começou em 1926, quando o imigrante grego Christ Economou abriu um pequeno estande na West Fourth Street entre as avenidas South Boulder e South Cheyenne. Rapidamente superou seu espaço e mudou-se para a rua principal, e agora há locais por toda a cidade. Os cachorros-quentes pequenos são cozidos em uma frigideira em fogo baixo, e os clientes habituais tomam no estilo Coney: espalhe um pouco de mostarda em um pão cozido no vapor, adicione o cachorro e cubra com um molho de pimenta de carne bovina picante e cheio de canela, um pouco de queijo americano ralado, cebolas picadas e uma pitada de colorau. Coma e sorria.

36) Famous Lunch, Troy, NY: Cachorro-quente com molho Zippy

O Famous Lunch está em atividade em Troy desde 1932, e eles ainda estão vendendo seus lendários cachorros-quentes pequenos Helmbold, de dez centímetros de comprimento e cheios de sabor picante de alho, cozidos em uma chapa que é quase tão velha quanto o restaurante. Sente-se no balcão e peça alguns cachorros (eles não custam muito, apenas 60 centavos cada ou quatro por US $ 3) e certifique-se de cobri-los com mostarda, cebola e seu clássico molho Zippy, recheado com grandes pedaços de carne e estourando com cominho e colorau.

35) Cupid’s, Van Nuys, Califórnia: “Tudo”

A Cupid's, no mercado desde 1946, afirma servir os melhores chili dogs de Los Angeles, e seria difícil argumentar contra isso. Os quatro locais ainda pertencem e são operados pela família fundadora Walsh, e o menu ainda é super simples: cachorro-quente, batata frita e uma bebida. O fundador, Richard Walsh, enlouqueceu quando seu filho adicionou ketchup e tempero ao menu no início dos anos 1980. O motivo? Ele estava mexendo com a perfeição, que é exatamente o que o molho de pimenta deles é. A mistura espessa é rica e saudável, repleta de sabor de alho, pimenta em pó, erva-doce e vinagre de cidra de maçã. É delicioso por si só, mas ainda melhor quando servido com uma concha em um cachorro coberto com mostarda e cebolas. É chamado de "tudo", embora sejam apenas três coberturas, um sinal não só do menu limitado, mas também do fato de que é tudo que você precisa para um cão de classe mundial.

34) Shorty’s, Seattle: Shorty Dog

Shorty’s realmente tem de tudo: um bar, um fliperama completo, uma atmosfera bizarra de circo e cachorros-quentes incrivelmente deliciosos. Eles começam de forma simples, com salsichas da Vienna Beef (salsichas especiais incluem uma linguiça de estilo alemão e um delicioso cachorro vegetariano), e vêm em estilo de Chicago, com chili e queijo, e até mesmo com tomate, cream cheese e pimentão. Mas seria difícil encontrar algo para beber sua cerveja que seja melhor do que o clássico Shorty Dog, simplesmente coberto com cebola, tempero e chucrute. Um desses, algumas cervejas e um pouco de pinball? Isso é o que chamamos de um bom momento.

33) Martinsville Speedway, Ridgeway, Va .: Chili Dog

Se você pensava que um cachorro-quente servido em uma pista de corrida não tinha chance de entrar nessa lista, pense novamente. Comer um cachorro-quente no Martinsville Speedway é um rito de passagem para pilotos e fãs de carros de corrida, e esse icônico cachorro-quente também é muito saboroso. Em um fim de semana, mais de 50.000 cachorros-quentes são vendidos, e por apenas dois dólares cada, eles são um roubo. Esses cachorros são servidos há mais de 60 anos, da mesma forma: pão macio, salada de repolho, queijo, cebola picada à mão e um chili de receita secreta, embrulhado em papel manteiga. Dale Earnhardt Jr. afirmou comer três ou quatro por dia nos finais de semana de corrida.

32) Dat Dog, New Orleans: Hot Sausage

Esta lanchonete de cachorro-quente que só paga dinheiro (com três unidades em Nova Orleans) está rapidamente se tornando uma instituição de Crescent City, graças ao compromisso do proprietário Skip Murray em servir cachorros-quentes e salsichas da mais alta qualidade possível, bem como um senso de humor matador. Os destaques do menu incluem uma combinação brilhante de linguiça de pato com geléia de amora, além de linguiça de lagosta, linguiça de crocodilo e salsicha, mas certifique-se de economizar espaço para experimentar sua linguiça quente, moída por um açougueiro local e colocada em um pãozinho cozido no vapor então torrado, para torná-lo macio e crocante. O céu é o limite quando se trata de coberturas, mas você não pode errar com seu viciante molho de Andouille à base de caldo de carne.

31) American Coney Island, Detroit: Coney

Em Detroit, há uma rivalidade épica que remonta a décadas entre duas barracas de cachorro-quente vizinhas, American Coney Island e Lafayette Coney Island, e ambas pertencem à nossa lista, servindo lendários cachorros-quentes. Pertencente e operado por uma família desde 1917, a fama da American é o clássico cachorro ao estilo Coney. Um cachorro-quente feito sob medida é colocado em um pão quente cozido no vapor e coberto com um molho de pimenta com tempero grego desenvolvido pelo fundador Gust Keros, coberto com um monte de cebolas em cubos e um esguicho de mostarda. Nenhuma viagem a Detroit está completa sem um cachorro Coney.

30) Almoço em Coney Island, Scranton, Pa .: Texas Wiener

Chamando a si mesmo de "o restaurante mais antigo do centro", o Coney Island Lunch foi fundado (em outro local) em 1923. O nome do lugar pode sugerir um cachorro ao estilo de Coney Island, mas a especialidade aqui é a salsicha do Texas. É uma variedade de cachorro supostamente inventada pelo proprietário de um restaurante grego em Altoona, Pensilvânia, em 1918, e considerada um autêntico estilo de cachorro-quente regional no triângulo Altoona – Scranton – Filadélfia hoje. O que o torna "Texas?" Uma camada de chili. No almoço de Coney Island, a carne é uma salsicha Berks totalmente fatiada em Reading, ao sul de Scranton, grelhada e servida em um pão cozido no vapor feito pela própria padaria nacional de Scranton. Mostarda de Düsseldorf e cebolas cortadas em cubos em uma picadora Hobart 1928 completam o pacote.

29) Clare & Carl's, Plattsburgh, N.Y .: Michigan Hot Dog

Há um pequeno barraco na Route 9 South em Plattsburgh, N.Y., com uma grande placa anunciando o Texas Red Hots. Quando você põe os pés dentro do pequeno prédio, que foi construído pelos fundadores Clare e Carl Warne na década de 1940, você vai querer pedir um "michigan", um cachorrinho-quente cozido no vapor, feito apenas para a barraca, em um especial -Boloque feito, coberto com um molho secreto de carne (também conhecido como molho michigan) e cebolas picadas. A origem do nome é lenda, e muitos segredos estão guardados dentro dessas paredes, nomeadamente os ingredientes do molho e os fornecedores dos cães e pães. Mas você realmente não precisa saber de nada disso. Tudo que você precisa saber é que este é um cachorro-quente danado de bom, o melhor exemplo do estilo que é único na região (e não tem nada a ver com o Texas ou Michigan).

28) Shake Shack, Multiple Locations: Shack-cago Dog

Nova York pode ser o lar do Nathan’s e do Gray’s Papaya, mas qualquer um que tenha procurado os melhores cachorros-quentes do país sabe a triste verdade: a cidade de Nova York, com todos os seus carrinhos de cachorro-quente nas calçadas, é não um cachorro quente Cidade. Eles simplesmente não são tão bons. Então, um dos melhores cachorros-quentes de Gotham é o cachorro Shack-cago do Shake Shack, ao estilo Chicago. "Um cachorro-quente de uma lanchonete ?!" Na verdade, como observa o próprio site de Shake Shack, o florescente império do hambúrguer "começou como um humilde carrinho de cachorro-quente". Este cachorro é "dividido e arrastado pelo jardim com condimentos do Rick’s Picks Shack, cebola, pepino, picles, tomate, pimentão, sal de aipo e mostarda." O coque é até macio, como em Chicago. Tome isso, Nova York.

27) Restaurante Senate, Cincinnati: Croque Madame

O Senado é um dos restaurantes mais badalados de Cincinnati e, embora alguns restaurantes releguem o cachorro-quente ao menu infantil, aqui eles estão na frente e no centro, em oito variedades exageradas (incluindo uma que muda diariamente). Seus cães personalizados são feitos por açougueiros da Avril-Bleh na mesma rua, e eles passam por 800 deles semanalmente. O verdadeiro destaque é o cachorro Croque Madame: um cachorro coberto de béchamel, coberto com presunto da Floresta Negra e um ovo escalfado, em um pão de brioche torrado. É café da manhã, almoço e jantar, tudo em um.

26) Boston Super Dog, Roxbury, Mass .: Carregado

Boston Super Dog, também conhecido como Boston Speed ​​Dog, é um pequeno caminhão que acampa na esquina da Newmarket Square, em Boston, quatro dias por semana, bem como em alguns outros locais da cidade. Os links kosher de 20 centímetros e meio quilo são fornecidos por Pearl, uma empresa local, e eles recebem uma marinada em cidra de maçã e açúcar mascavo antes de serem grelhados no carvão e colocados em um pão torrado. Peça-o "carregado" e você poderá provar todos os recheios: cebola, mostarda, molho de pimenta, molho barbecue e condimentos, todos caseiros.

25) Gene and Jude’s, Chicago

Uma viagem ao Wrigley Field em 1945 por Gene Mormino e amigos se tornou a inspiração para uma instituição de Chicago, que muitas pessoas afirmam servir o melhor cachorro-quente em uma cidade conhecida pelos excelentes. "Durante o jogo, o grupo pediu alguns cachorros-quentes e bebidas", observa o site de Gene e Jude. "Olhando para a comida em suas mãos, ele sentiu que algo estava faltando. As rodas começaram a girar e quando ele voltou para casa, o experimento começou. Ele teve uma ideia tão boa que a usou para abrir uma pequena barraca em 1946 na Polk com a Western Avenue, servindo cachorros-quentes e batatas fritas junto com alguns outros itens do menu. " Mormino supostamente perdeu a arquibancada original em um jogo de cartas, mas abriu outra em 1950 em River Grove, onde é administrado por seu filho Joe. Os cachorros-quentes são uma bagunça - cobertos e enrolados com batatas fritas às vezes surpreendentemente macias, mas a introdução de salinidade e variação de textura os torna mais matizados do que muitos outros cachorros de Chicago. E as 10h30 à 1h, quando muitos outros restaurantes icônicos de Chicago estão fechados, os torna um salvador do cachorro-quente aos domingos.

24) Cães Crif, Nova York: Bom dia

Desde a inauguração em St. Marks Place em 2001, Crif Dogs tem sido o porta-estandarte para cachorros-quentes únicos e emocionantes em Nova York, agora com um segundo local no Brooklyn. Nenhuma oferta resume sua abordagem de "pia da cozinha" para o cachorro-quente melhor do que o Good Morning, que transforma um cachorro-quente em um dos grandes sanduíches do café da manhã: ele começa com um cachorro-quente frito e embrulhado em bacon (afirma Crif para fama), e adiciona uma fatia de queijo americano derretido e um ovo frito. E o café da manhã nunca mais foi o mesmo.

23) Blue Ash Chili, Cincinnati: Cheese Coney

Há algumas coisas que você precisa saber se estiver planejando visitar uma das onipresentes "casas de chili" de Cincinnati. Um, o chili é do estilo grego, rico em cominho, canela e chocolate, mas diferente das outras variações regionais. Dois, fica muito bem em cachorros-quentes (e espaguete), com cebola picada e um monte de queijo ralado. Três, há um método de pedido: "Três maneiras" vem com pimentão e queijo, "quatro maneiras" adiciona feijão ou cebola, "cinco maneiras" adiciona feijão e cebola e em alguns lugares "seis maneiras" adiciona alho ou jalapeños . Os cachorros Skyline Chili's Coney são uma ótima introdução ao estilo, mas os locais confiam no Blue Ash, uma instituição desde 1969. Vá para o Cheese Coney: um frank médio coberto com pimenta, mostarda, cebolas e um monte gigante de picadinho Queijo cheddar.

22) Superdawg, Chicago: Superdawg

Encimado pelo que deve ser considerado uma das melhores sinalizações da América - um cachorro-quente flexionado exibindo seus músculos para uma garota wiener piscante - Superdawg tem sido uma instituição na Milwaukee Avenue em frente a Caldwell Woods desde que Maurie Berman a abriu em 1948. GI projetou o prédio e criou sua própria receita secreta e montou um drive-in no que era então o fim da linha do bonde, onde planejava vender $ 0,32 sanduíches Superdawg para "famílias que nadavam e adolescentes" por alguns meses durante o verão para ajudar a colocá-lo na escola em Northwestern. Em 1950, Maurie passou no exame de CPA, mas ele e sua esposa Flaurie decidiram continuar operando Superdawg e abrir o ano todo. O drive-in de propriedade familiar ainda serve cães de corte puros de alta qualidade, "a mais adorável e suculenta criação de cachorro-quente bovino puro (sem carne de porco, sem vitela, sem cereais, sem recheio) formalmente vestido com todos os acompanhamentos: mostarda dourada, piccalilli picante, picles de endro kosher, cebolas espanholas picadas e uma pimenta picante memorável. "

21) Tommy’s, Elizabeth, NJ: cachorro-quente italiano

Yelp / Dan H

O cachorro-quente italiano tradicional de Nova Jersey é notoriamente difícil de aperfeiçoar, mas no modesto pedido na janela, eles chegaram a uma ciência. Começa com um franco frito sem pele das inimitáveis ​​Best Provisions, enfiado em um quarto de um pão leve e crocante feito de massa de pizza. Cebolas e pimentões cozidos lentamente vêm em seguida, e então o verdadeiro destaque: fatias de batata frita e de corte fino que não são incrivelmente crocantes, mas também não empapados. Surpreendentemente, não é nada gorduroso; apenas um cachorro-quente italiano perfeitamente equilibrado, que você ficará feliz em ter descoberto.

20) Skeenies, Charleston, WV: tudo

Se você está procurando um verdadeiro cachorro-quente ao estilo da Virgínia Ocidental, não procure além do Skeenies, que serve o que pode muito bem ser uma variação perfeita. Um pãozinho cozido no vapor envolvendo um franco magro, coberto com pimenta, salada cremosa branca como a neve e mostarda amarela é o estilo clássico da Virgínia Ocidental, mas peça o seu com "tudo" no Skeenies, e você também receberá cebolas picadas e ketchup. Pergunte a qualquer expatriado da Virgínia Ocidental por que eles estão com saudades, e Skeenies inevitavelmente surgirão.

19) Murphy’s Red Hots, Chicago, Illinois: Chicago Dog

Murphy’s é especial. No North Side de Chicago, a poucos quarteirões do Wrigley Field, na esquina da North Racine com a West Belmont, no andar térreo de uma casa com paredes de vinil cinza, o Murphy's é um lugar antigo. É o que o vice-presidente sênior e autor do Vienna Beef Nunca coloque ketchup em um cachorro-quente Bob Schwartz diz harkens "outra época em que pequenas lojas eram instaladas no andar térreo ou nos fundos de restaurantes ou lojas" e os proprietários viviam nas proximidades, como Schwartz observou, o dono de Murphy, Bill Murphy. Uma diferença aqui é o pão francês fresco e crocante que Murphy serve para cães. Grelhar no carvão é mais proeminente do que na maioria das casas de cachorro-quente notáveis ​​de Chicago, e aquele cachorro queimado e dividido adiciona muita textura e sabor ao ícone de Chicago. Um cão grelhado com todos os acessórios de Chicago é mais complexo e interessante do que a maioria dos outros cães que você encontrará, mas se você sentir a necessidade de crescer, o Murphy's oferece duas ótimas opções. Há o escaldado footlong red hot (no Japão, onde Murphy's fez uma camafeu, é chamado de "Big Murphy"), e o "Screamin 'to be Eaten Polish", salsicha polonesa carbonizada de ⅓ libra de Murphy.

18) El Guero Canelo, Tucson, Ariz .: Sonoran Dog

O próximo da nossa lista é um cachorro-quente completamente diferente de qualquer outro no país: o Cachorro Sonora, um exemplo brilhante de cooperação internacional. John T. Edge trouxe este cachorro-quente aos holofotes pela primeira vez em 2009 e, embora já exista há mais de 40 anos, o Sonoran está tendo um grande momento ao sol. Funciona assim: um cachorro-quente é embrulhado em bacon (bom lugar para começar), grelhado até ficar crocante, recheado em um pãozinho dividido que é diferente de qualquer outro no país e coberto com qualquer um dos vários condimentos que geralmente envolva feijão, tomate picado, mostarda, ketchup e maionese. Há estandes em toda Tucson vendendo Sonorans, mas o exemplo mais brilhante é vendido no humilde e maltrapilho El Guero Canelo, que começou como um minúsculo carrinho dirigido por Daniel e Blanca Contreras em 1993 e agora tem uma área de estar semi-externa , uma enorme variedade de coberturas e uma vibração jovial sempre presente.

17) Ted’s, Buffalo, NY: com molho de pimenta quente

O Ted's, com 8 locais na área de Buffalo e mais um no Arizona, cozinha cachorros-quentes grelhados no carvão desde 1927 e os serve junto com ótimos milk-shakes e anéis de cebola perfeitos, regados com Loganberry gelado. Os cachorros preparados na hora (disponíveis de tamanho normal, com um pé de comprimento ou todo bife jumbo) obtêm um bom carvão do carvão, e você perderá se não o cobrir com o famoso chili quente de Ted molho, trazido da Grécia pelo fundador Ted Liaros. É doce e picante, e felizmente também o vendem em garrafa.

16) Ben’s Chili Bowl, Washington, D.C .: The Half-Smoke

Pode ser que alguns moradores de Washington o conheçam, mas junto com o Jumbo Slice, como os bagels e a pizza são para Nova York, a meia fumaça é uma das comidas mais icônicas do Capitólio. As fotos de celebridades (e presidenciais) na parede são indicações claras de Ben's Chili Bowl 's status de marco da cidade, mas as filas contínuas para fora da porta são uma evidência de que os cachorros de queijo chili do restaurante são alguns dos melhores do país. Mas aqueles que sabem não pedem apenas "cachorros", eles compram a salsicha defumada, uma linguiça defumada meio porco, meio bovina, que é uma especialidade nativa de DC supostamente inventada por Ben Ali, o proprietário original, cujos filhos comeram sobre o restaurante após sua morte. À medida que o bairro U Street Corridor / Shaw em torno dele se enobreceu e se tornou moderno, é um bastião de DC com mais de 50 anos, onde universitários, veteranos e celebridades são bem-vindos, contanto que sejam disposto a ficar na fila como todo mundo, embora o presidente coma de graça.

15) Flo's, Cape Neddick, Maine: cachorro-quente com maionese, sal de aipo, condimento

Flo’s Hot Dogs em Cape Neddick, Maine, é um estabelecimento de propriedade familiar que está no mercado desde 1959. Eles se especializam em cachorros-quentes cozidos no vapor que só precisam de uma pitada de sal de aipo, condimentos e maionese. O condimento é famoso, embora a receita seja secreta, e é vendido separadamente em potes no local e online. O clássico fica aberto o ano todo, com exceção das quartas-feiras, mas só funciona das 11h às 15h Dica profissional: ketchup não está disponível, então não peça. Os cachorros-quentes têm um invólucro natural picante, e o sabor secreto é ao mesmo tempo picante e doce. Saiba o que deseja pedir quando chegar à frente da fila e procure um lugar no balcão de seis lugares dentro, mas se estiver cheio (como normalmente está), não se preocupe - as mesas de piquenique estão fornecido fora.

14) Círculo de Wiener, Chicago: Double Chardog

Se você não está muito intimidado para fazer o pedido (o ambiente infame, ahem, rude pode ficar um pouco turbulento à noite quando os funcionários e clientes bêbados compartilham farpas), a mudança é um chardog duplo com tudo. O cachorro-quente tradicional de Chicago está bastante representado neste ícone do Lincoln Park, com uma exceção. Um cachorro-quente Vienna Beef em um pão de semente de papoula recebe todas as coberturas icônicas de Chicago (cebolas cruas, relish verde neon, picles, fatias de tomate e sal de aipo). A saída da versão purista? O Círculo de Wiener assa seus cachorros em vez de cozinhá-los no vapor. Um char duplo é simplesmente dois cachorros enegrecidos embaixo de todos aqueles vegetais em um pão.

13) J. S. Pulliam Barbecue, Winston-Salem, N.C .: Chili Slaw Dog

Bem é isso chamado uma churrascaria, mas o que a maioria das pessoas parece elogiar aqui não é a deixa, são os cachorros - e qualquer lugar que possa anunciar "Hot Dogs desde 1910" deve estar fazendo algo certo. Essas salsichas são de um temível vermelho escuro, bem apimentadas e cheias de sucos. Os pães são amanteigados e tostados, o que adiciona um bom nível de textura e sabor. Adicione pimenta-malagueta e salada de repolho (e mostarda e cebola, se quiser "de tudo") e você terá o que o Reader's Digest já chamou de "os melhores cachorros-quentes do sul". Fazê-los realmente bom, adicione uma dose de molho para churrasco extremamente quente do Big Ed.

12) Super Duper Weenie, Fairfield, Conn: New England

O que começou como um humilde caminhão de cachorro-quente agora é uma instituição completa da Fairfield, com um bom motivo: esses são alguns cachorros-quentes insanamente deliciosos. O proprietário Gary Zemola faz todo o chili e condimentos do zero, e eles vão em cima de um cachorro-quente que é partido antes de ir para a grelha, permitindo a exposição máxima da superfície plana. Os cães são modelados a partir das interpretações de Zemola de estilos regionais, incluindo o Chicagoan, o Californiano e o New Yorker, mas o verdadeiro destaque é o New England, uma ode ao clássico cão regional coberto com chucrute, bacon, mostarda, condimento doce e Cebola crua. Seu na verdade demais.

11) Byron’s Hot Dog Haus, Chicago, Illinois: Chicago Dog

Yelp / Eleazer C

Pessoas que dizem que "maior nem sempre é melhor" muitas vezes estão tentando fazer alguém se sentir melhor. No caso da Byron's, uma pequena loja com um pequeno balcão interno onde você pode realmente ter que esperar apenas para entrar, maior significa mais sabor de carne suculenta, mais coberturas clássicas de Chicago, mais coberturas e mais bagunça - tudo ótimo coisas. O Byron’s existe desde 1975, fruto da imaginação de Byron Kouris, o famoso restaurateur de Chicago por trás do Lunch Pail e da instituição Art Déco Zephyr’s. Não há mais tantos Byron's por aí, mas vale a pena procurar um dos dois locais restantes para enfrentar Dogzilla, um cachorro-quente de meia libra servido com as coberturas tradicionais de Chicago, junto com (se quiser) pepinos, pimentões verdes e alface (não, não é um truque). Este é um cachorro que você não vai querer largar depois de pegá-lo - o pãozinho cozido no vapor começa a se desfazer - apenas coma até terminar. Freqüentemente, em Chicago, o cachorro duplo é a melhor opção - todas as coberturas extras precisam do sabor extra salgado, carnudo e suculento de um segundo cachorro. Dogzilla resolve esse problema com aquela beleza de meio quilo. Diggity quente.

10) Lafayette Coney Island, Detroit: Coney

Uma das maiores rivalidades do mundo culinário é entre duas barracas de cachorro-quente vizinhas no centro de Detroit, Lafayette Coney Island e American Coney Island (# 31). Embora a batalha sobre qual cachorro-quente seja mais saboroso esteja no mesmo nível da luta entre os cheesesteaks do Pat's e do Gino's na Filadélfia, a maioria dos moradores dirá que é Lafayette o tempo todo, por vários motivos. O cachorro-quente tem um snap suculento, salgado e esfumaçado, o molho Coney é impecável e as batatas fritas são crocantes, mas é a experiência que o coloca em primeiro lugar em nosso livro: Enquanto o americano é brilhante e um pouco sem charme, Lafayette é um tipo de lugar excêntrico, desgastado pelo tempo e que não é renovado há muitos anos, mas o charme é palpável, especialmente na equipe, que provavelmente trará seu pedido em menos de 30 segundos. Resumindo: a barraca perfeita de cachorro-quente.

9) Pink’s, Los Angeles: Three Dog Night

Há algo sobre Pink's que não foi dito? Difícil de imaginar. Até mesmo os detratores se definem por ele. Mas você não encontrará muitos deles - basta verificar a linha nesta barraca de cachorro-quente de propriedade familiar que existe desde 1939. Em nossa última contagem, o proprietário Richard Pink disse que vendeu 35 variedades de cachorro-quente e coberturas e vende em média, cerca de 2.000 cachorros-quentes por dia. Crédito muito do sucesso da Pink ao seu chili - uma vez que levou a então crítica de restaurantes do New York Times, Ruth Reichl, a mergulhar no lixo para descobrir a receita (história real). E embora ele não quisesse divulgar seus ingredientes, em uma entrevista ao The Daily Meal Pink observou "que precisa ser relativamente macio, mas ainda ter textura suficiente para resistir a cachorros-quentes e hambúrgueres". Para todos os cachorros-quentes com cobertura de bacon, creme de leite, guacamole, pastrami e queijo nacho, The Three Dog Night é o movimento. Este "cachorro" (não deveria ser chamado de refeição?) Apresenta três cachorros-quentes embrulhados em uma tortilla gigante com três fatias de queijo, três fatias de bacon, pimenta e cebola. É um campeão de vendas que nasceu de Laker Three-Peat Dog, e foi renomeado após Matriz recarregada, e depois que o filme terminou, finalmente se estabeleceu em uma homenagem permanente à banda de rock dos anos 70.

8) Bark Hot Dogs, Brooklyn, N.Y .: Bacon Cheddar Dog

Whereas some hot dog sellers are secretive about the origins of their product, the folks behind Bark, located in Brooklyn’s Park Slope neighborhood (with a second location opening in Greenwich Village in August), are more than happy to let you know where they source their hot dogs (and all the rest of their ingredients, right down to the cabbage used in the sauerkraut), because the ingredients are of such a high quality and they put so much work into crafting everything. Upstate New York’s Hartmann’s Old World Sausage worked with them to create a stellar hot dog, which gets a basting of lard butter as it’s browning on the flat top before being placed into a grilled, buttered split-top bun from Pepperidge Farm. Toppings stay fairly traditional, but one of our favorite guilty pleasures is their bacon Cheddar dog, which tops the dog with a sprinkling of diced Nueske’s bacon, a house-made Cheddar sauce, and diced pickled onions. All condiments are made in-house, except for the ketchup, mustard, and mayo. "Some things are just American classics," they explain on their menu.

7) Dew Drop Inn, Mobile, Ala.: Dew Drop Dog

If you’re from Mobile, Ala., you know about the comfortable, wood-paneled Dew Drop Inn. Not only is it one of the city’s oldest restaurants, having opened in 1924, it boasts a loyal clientele of regulars who don’t even need a menu and consider the waitstaff old friends. There’s a surprisingly expansive Southern-tinged menu with a handful of hidden gems (like the oyster loaf, a smaller-size oyster po’boy), but their hot dog, supposedly the first to reach this neck of the woods way back when, is a true standout. The bright red steamed dogs are stuffed into a squishy bun and topped with coarse-ground chili, sauerkraut, ketchup, mustard, and a bread-and-butter pickle. You can also order them "upside-down," with the dog sitting atop the condiments, but any way you slice it this is a very solid hot dog.

As a side note, their cheeseburgers are quite good as well; Jimmy Buffett grew up nearby and wrote a song about them.

6) Olneyville N.Y. System, North Providence, R.I.: NY System Dog

Olneyville N.Y. System, with three locations in Providence, North Providence, and Cranston, R.I., claims to serve "Rhode Island’s Best Hot Wieners," and while that will always remain a point of contention, they’re certainly the most legendary. The New York System dog is a regional specialty: small franks (in this case, from Little Rhody) are steamed, placed atop a steamed bun, and topped with a cumin-heavy meat sauce, yellow mustard, diced onions, and celery salt. You’re going to want to order a few of these, because they’re small and addictive (see how many of them the counterman can balance on his arm). The "wiener sauce" is so popular that people have been requesting the recipe for years; you can purchase a packet of seasoning online and make it yourself at home.

5) Schaller’s Drive-In, Rochester, N.Y.: Meat Sauce, Mustard, Onions

Yelp/ Pete A

A Rochester, N.Y., institution, folks come for the nostalgia and stay for the timeless fries, hamburgers, and hot dogs. It opened in 1956, so that distinct Happy Days atmosphere is in fact purely authentic. Located right on the water, Schaller’s specialty is the upstate hot dog variety known as White Hots, fat natural-casing dogs made from pork, beef, and veal, made by Zweigle’s. Top it with some of their meat-based "hot sauce," mustard, and onions, grab a handful of pickles, and you’re in summer vacation heaven. Two other locations have since opened, but the lakeside location is the one to visit.

4) Hot Doug’s, Chicago: Foie Gras and Sauternes Duck Sausage

Arthur Bovino

When Hot Doug’s first opened at its original location in Roscoe Village in 2001 (it moved to its current spot in 2004 after a fire), there were people who doubted its owner Doug Sohn’s vision of a menu limited to hot dogs and sausages — even Sohn’s own family. "My brother told me, 'Don’t you think you’ll tenho to sell hamburgers?'" Sohn related in an interview, adding, "I have it on very good authority that the people at Vienna gave me a few months. They came in and they were like, 'Well, this isn’t gonna last.'" Now? Along with Doughnut Vault, Hot Doug’s is probably Chicago’s most famous line for food, and the entire city let out a collective audible gasp when word spread earlier this month that it would be closing its doors for good in October.

While its main menu is delicious, its items can be replicated elsewhere. The specials’ flavors and ingredients, however, differentiate Hot Doug’s. The normal menu ranges in price from $2 to $4 per order and the special sausages are $6 to $10. It is the type of place where you extend yourself monetarily and calorically because you don’t know when the next time will be that you will be able to carve out hours for lunch on a weekday or Saturday to soak up the experience. The signature order here of course, is the foie gras and sauternes duck sausage with truffle aioli, which garnered quite a bit of press in 2006 following the banning of foie in Chicago. Defying the ban pushed by chef Charlie Trotter and Alderman Joe Moore, Sohn named the dog after Moore, was fined, but was ultimately victorious when the ban was repealed in 2008. It’s a brilliant pairing — the snap of the dog against the creaminess of the foie — a visionary move celebrated by gout-defying offal lovers everywhere. While we’ll miss Hot Doug’s, we’re sure that wherever Sohn ends up next, Chicagoans will be lining up behind him.

3) Rutt’s Hut, Clifton, N.J.: The Ripper with Relish

Even if Rutt’s Hut, located in blue-collar Clifton, N.J., served their trademark Ripper, a pork-and-beef Thumann’s link that’s deep-fried in beef fat until it rips apart, out of the back of a minivan, it would still be one of the country’s most delicious hot dogs. The fact that this roadside shack has not only a counter to end all counters amid its stand-up dining room, but also an adjoining tap room where you can drink cheap beer and chat with old-timers and fellow pilgrims, propels Rutt’s Hut to legendary status. Whether you order an "In-And-Outer," (just a quick dunk in the oil), a Ripper, a well-done "Weller," or the crunchy, porky, almost-overcooked "Cremator," make sure you get it "all the way," topped with mustard and a spicy, sweet, onion- and cabbage-based relish.

2) Katz’s Deli, New York City: Mustard and Sauerkraut

Arthur Bovino

Katz’s Deli, on New York’s Lower East Side, is a New York institution. Their corned beef and pastrami, made on-premises and sliced to order, are legendary, and the simple act of taking your ticket, standing in line, bantering with the counterman while placing your order, and finding a table has become as New York an exercise as, well, eating a hot dog with a smear of mustard and a little sauerkraut. And it just so happens that the hot dogs here are muito Boa. Made especially for the restaurant by Sabrett, these garlicky, natural-casing, jumbo-size all-beef dogs spend such a long time on the flat-top grill that the outside gets a nice char and snaps when you bite into it. A smear of mustard is all that’s needed, but a little sauerkraut or stewed onions certainly won’t hurt.

1) Fat Johnnie’s Famous Red Hots, Chicago: Mighty Dog

Arthur Bovino

The number one hot dog spot on this list is admittedly a bit of a sleeper, one that some Chicagoans might even do a double-take at. It’s a small, ramshackle, white-paneled hut that’s just a bit taller and just a bit wider than a canoe, on an industrial stretch of Western Avenue, a 20-minute drive from The Loop. You order through a tiny window in wonderment at how someone can fit inside the shack, after looking over a menu that includes amazing named items like the "Mother-in-Law" (a tamale on a bun with chili), a "Father-in-Law" (tamale on a bun with chili and cheese), and a tamale sundae (a tamale in a bowl of chili). If you’re noticing the tamale trend here, you might see where this is going. As every Chicago hot dog lover knows, hot dogs and tamales go hand in hand at many of the city’s storied spots (though they’re frequently not the melhor thing on the menu). Not so at Fat Johnnie’s Famous Red Hots where John Pawlikowski serves the Mighty Dog — a hot dog and tamale on a bun with chili and cheese. Sounds like a monster, right? You’re right to be scared, it’s a mess. You want tomato, sport peppers, relish, and pickles on that? You bet you do. Soft steamed bun, moist tamale, fresh snap of the dog, chili, cheese, and a slice of cucumber sliced on the bias — it’s one of the best hot dogs you’ll ever have. Johnnie is celebrating 41 years this month. Go wash down a Mighty Dog with a Suicide (cola, fruit punch, grape soda, lemonade, orange, root beer, 7-UP, and strawberry soda) to celebrate.


Gallery: The Search for America's Best Hot Dog: The West

Cream cheese is perhaps most closely associated with bagels, cheesecake, and crab rangoon, but if you're eating a late-night hot dog in Seattle (and wiener culture in the Emerald City only seems to start up after sunset), you'll find the stuff slathered generously on soft, pillowy outsize rolls, along with a fistful of grilled onions. Monster Dogs, our favorite in Seattle, grills your choice of beef hotlink, beef Polish sausage, or veggie dog, offering an array of condiments for embellishment. Try the cream cheese dog plain first, but we think barbecue sauce and hot mustard make for a perfect sweet-and-hot combo.

Localização: Multiple locations in Seattle 206-769-5266 seattlemonsterdogs.com


Gallery: The Search for America's Best Hot Dog: The West

Cream cheese is perhaps most closely associated with bagels, cheesecake, and crab rangoon, but if you're eating a late-night hot dog in Seattle (and wiener culture in the Emerald City only seems to start up after sunset), you'll find the stuff slathered generously on soft, pillowy outsize rolls, along with a fistful of grilled onions. Monster Dogs, our favorite in Seattle, grills your choice of beef hotlink, beef Polish sausage, or veggie dog, offering an array of condiments for embellishment. Try the cream cheese dog plain first, but we think barbecue sauce and hot mustard make for a perfect sweet-and-hot combo.

Localização: Multiple locations in Seattle 206-769-5266 seattlemonsterdogs.com


Gallery: The Search for America's Best Hot Dog: The West

Cream cheese is perhaps most closely associated with bagels, cheesecake, and crab rangoon, but if you're eating a late-night hot dog in Seattle (and wiener culture in the Emerald City only seems to start up after sunset), you'll find the stuff slathered generously on soft, pillowy outsize rolls, along with a fistful of grilled onions. Monster Dogs, our favorite in Seattle, grills your choice of beef hotlink, beef Polish sausage, or veggie dog, offering an array of condiments for embellishment. Try the cream cheese dog plain first, but we think barbecue sauce and hot mustard make for a perfect sweet-and-hot combo.

Localização: Multiple locations in Seattle 206-769-5266 seattlemonsterdogs.com


Gallery: The Search for America's Best Hot Dog: The West

Cream cheese is perhaps most closely associated with bagels, cheesecake, and crab rangoon, but if you're eating a late-night hot dog in Seattle (and wiener culture in the Emerald City only seems to start up after sunset), you'll find the stuff slathered generously on soft, pillowy outsize rolls, along with a fistful of grilled onions. Monster Dogs, our favorite in Seattle, grills your choice of beef hotlink, beef Polish sausage, or veggie dog, offering an array of condiments for embellishment. Try the cream cheese dog plain first, but we think barbecue sauce and hot mustard make for a perfect sweet-and-hot combo.

Localização: Multiple locations in Seattle 206-769-5266 seattlemonsterdogs.com


Gallery: The Search for America's Best Hot Dog: The West

Cream cheese is perhaps most closely associated with bagels, cheesecake, and crab rangoon, but if you're eating a late-night hot dog in Seattle (and wiener culture in the Emerald City only seems to start up after sunset), you'll find the stuff slathered generously on soft, pillowy outsize rolls, along with a fistful of grilled onions. Monster Dogs, our favorite in Seattle, grills your choice of beef hotlink, beef Polish sausage, or veggie dog, offering an array of condiments for embellishment. Try the cream cheese dog plain first, but we think barbecue sauce and hot mustard make for a perfect sweet-and-hot combo.

Localização: Multiple locations in Seattle 206-769-5266 seattlemonsterdogs.com


Gallery: The Search for America's Best Hot Dog: The West

Cream cheese is perhaps most closely associated with bagels, cheesecake, and crab rangoon, but if you're eating a late-night hot dog in Seattle (and wiener culture in the Emerald City only seems to start up after sunset), you'll find the stuff slathered generously on soft, pillowy outsize rolls, along with a fistful of grilled onions. Monster Dogs, our favorite in Seattle, grills your choice of beef hotlink, beef Polish sausage, or veggie dog, offering an array of condiments for embellishment. Try the cream cheese dog plain first, but we think barbecue sauce and hot mustard make for a perfect sweet-and-hot combo.

Localização: Multiple locations in Seattle 206-769-5266 seattlemonsterdogs.com


Gallery: The Search for America's Best Hot Dog: The West

Cream cheese is perhaps most closely associated with bagels, cheesecake, and crab rangoon, but if you're eating a late-night hot dog in Seattle (and wiener culture in the Emerald City only seems to start up after sunset), you'll find the stuff slathered generously on soft, pillowy outsize rolls, along with a fistful of grilled onions. Monster Dogs, our favorite in Seattle, grills your choice of beef hotlink, beef Polish sausage, or veggie dog, offering an array of condiments for embellishment. Try the cream cheese dog plain first, but we think barbecue sauce and hot mustard make for a perfect sweet-and-hot combo.

Localização: Multiple locations in Seattle 206-769-5266 seattlemonsterdogs.com


Gallery: The Search for America's Best Hot Dog: The West

Cream cheese is perhaps most closely associated with bagels, cheesecake, and crab rangoon, but if you're eating a late-night hot dog in Seattle (and wiener culture in the Emerald City only seems to start up after sunset), you'll find the stuff slathered generously on soft, pillowy outsize rolls, along with a fistful of grilled onions. Monster Dogs, our favorite in Seattle, grills your choice of beef hotlink, beef Polish sausage, or veggie dog, offering an array of condiments for embellishment. Try the cream cheese dog plain first, but we think barbecue sauce and hot mustard make for a perfect sweet-and-hot combo.

Localização: Multiple locations in Seattle 206-769-5266 seattlemonsterdogs.com


Gallery: The Search for America's Best Hot Dog: The West

Cream cheese is perhaps most closely associated with bagels, cheesecake, and crab rangoon, but if you're eating a late-night hot dog in Seattle (and wiener culture in the Emerald City only seems to start up after sunset), you'll find the stuff slathered generously on soft, pillowy outsize rolls, along with a fistful of grilled onions. Monster Dogs, our favorite in Seattle, grills your choice of beef hotlink, beef Polish sausage, or veggie dog, offering an array of condiments for embellishment. Try the cream cheese dog plain first, but we think barbecue sauce and hot mustard make for a perfect sweet-and-hot combo.

Localização: Multiple locations in Seattle 206-769-5266 seattlemonsterdogs.com


Gallery: The Search for America's Best Hot Dog: The West

Cream cheese is perhaps most closely associated with bagels, cheesecake, and crab rangoon, but if you're eating a late-night hot dog in Seattle (and wiener culture in the Emerald City only seems to start up after sunset), you'll find the stuff slathered generously on soft, pillowy outsize rolls, along with a fistful of grilled onions. Monster Dogs, our favorite in Seattle, grills your choice of beef hotlink, beef Polish sausage, or veggie dog, offering an array of condiments for embellishment. Try the cream cheese dog plain first, but we think barbecue sauce and hot mustard make for a perfect sweet-and-hot combo.

Localização: Multiple locations in Seattle 206-769-5266 seattlemonsterdogs.com


Assista o vídeo: Erkenci Kus 50 - Legendado em Português - (Pode 2022).